Cursos em diferentes áreas garantem capacitação a reeducandas de Corumbá

Corumbá (MS) – Em Corumbá, reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino “Carlos Alberto Jonas Giordano” (EPFCAJG) já participaram de várias qualificações neste início de ano. Dentre os cursos estão “Técnicas na produção de Hortaliças”, “Noções em Primeiros Socorros” e “Inclusão Digital”. 

Os ensinamentos foram oferecidos por meio da parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e o Sindicato Rural de Corumbá. Ao todo, 35 internas foram capacitadas.

Com carga horária total de 16 horas, o curso de hortaliças abrangeu técnicas como preparo do solo, sistemas de plantios, irrigação, colheitas, entre outros tópicos. As aulas foram ministradas em três dias, nos períodos matutino e vespertino, e capacitou 15 reeducandas. 

Já no aprendizado de primeiros socorros, as alunas puderam aperfeiçoar os conhecimentos na área, além de aprender sobre prevenção de acidentes de trabalho. A capacitação teve por objetivo ensinar procedimentos simples com o propósito de manter as funções vitais e evitar o agravamento do estado físico de alguém até chegada de assistência qualificada.

Internas receberam orientações sobre primeiros socorros.

As orientações transmitidas às internas vão desde a checagem de pulso e respiração até a realização de massagem cardíaca, formas de estancar hemorragias, como agir em caso de ataque de animal peçonhento ou contato com produto tóxico. Com 10 horas de curso, a capacitação foi oferecida a 10 detentas.

No curso de inclusão digital, as participantes receberam informações básicas de informática, uso adequado e eficiente das novas tecnologias e ferramentas de gestão. A qualificação teve carga horária total de 16 horas e contou com a participação de mais 10 internas.

Para a diretora da unidade prisional, Anelize Lázaro de Lima, as qualificações oferecidas às reeducandas ocupam o tempo ocioso e contribuem na mudança de comportamentos dentro e fora do presídio. “Todos os cursos realizados oferecem direito a certificado, o que favorece na hora de buscarem melhores oportunidades no mercado de trabalho”, afirma.

Na unidade feminina de Corumbá são promovidas várias ações que oferecem oportunidade de ressocialização às custodiadas. Entre os projetos desenvolvidos está o coral “Vox in Libertae”, com apresentações realizadas pelas internas até mesmo fora da unidade prisional, e o “Xadrez que Liberta”, em que as reeducandas aprendem e praticam o esporte, tendo, inclusive, algumas delas participado, por dois anos seguidos, do campeonato estadual. 

Profissionalização e Reinserção

Os cursos profissionalizantes ofertados a custodiados da Agepen são coordenados pela Diretoria de Assistência Penitenciária, por meio da Divisão de Educação, que acompanha as ações de parceria, atuando junto às instituições e estabelecimentos penais no fornecimento de suporte às capacitações.

Segundo o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, a qualificação técnica é uma importante ferramenta de reinserção social. “Em 2017, mas 1,1 mil reeducandos foram capacitados profissionalmente e para este ano já estão previstos diversos cursos em área pontuais”, informa o dirigente.

Segundo Aud, entre as novidades para este ano, na área de qualificação profissional da massa carcerária, estão novas oficinas nas áreas de corte e costura, marcenaria, serralheria e padaria, por meio do Programa de Capacitação Profissional, do Ministério da Educação (Procap).

Texto: Tatyane Santinoni.

Fotos: Divulgação.