Servidora da Agepen lança livro após Tese de Doutorado sobre funcionamento de organização criminosa

Categoria: Sistema Penitenciário | Publicado: sexta-feira, junho 5, 2020 as 11:05 | Voltar

Campo Grande (MS) – Com mais de 18 anos de experiência no sistema penitenciário de Mato Grosso do Sul, a servidora Mônica Pinto Leimgruber lançou seu primeiro livro de autoria exclusiva, após defender Tese de Doutorado sobre investigação minuciosa de uma das maiores facções criminosas do Brasil e do mundo. A obra foi entregue, nesta semana, ao diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Aud de Oliveira Chaves.

O dirigente destacou a relevância de uma servidora da Agepen ter feito um estudo dessa magnitude e lançado o livro. "Cada vez mais contamos com profissionais que realizam pesquisas aprofundadas sobre o sistema prisional, que servem de referência em todo o país e também em várias partes do mundo. E isso, para nós, é motivo de orgulho", declarou.

Elogiado por profissionais da área de execução penal, o livro reuniu sete anos de estudos intensos sobre a constituição estrutural, organizacional e funcional dessa facção criminosa, considerada pelas autoridades a maior e com mais membros no país.

Na opinião do agente da Polícia Federal, Nicodemos Coutinho, a obra representa uma radiografia do mundo do crime, na qual o sistema prisional é visto por dentro de suas entranhas. “Mais que um livro, é um desafio à reflexão”, concluiu.

Já para o presidente da Associação Brasileira de Operações Especiais, tenente coronel da Polícia Militar de Mato Grosso, Marcos Paccola, muito mais que um trabalho acadêmico, “é uma viagem surpreendente pela dimensão da Psicologia sobre um fenômeno criminal que é conhecido por muitos, no entanto, ainda compreendido por poucos”.

Mônica foi classificada pela crítica especializada como uma das pesquisadoras mais ferrenhas sobre criminologia de grupos prisionais, e sua obra traz uma visão psicológica de cunho sócio-cognitivo da realidade do grupo criminoso de origem prisional paulista.

Atuando na área de Assistência e Perícia, Mônica é formada em Psicologia e está finalizando o curso de Direito. Além disso, é especialista em atendimento a crianças e adolescentes vítimas de violência, assim como, em psicologia jurídica e Gestão do Sistema Prisional; pós-graduada em inteligência policial e em Terapia cognitivo-comportamental. No final do ano passado, concluiu o Doutorado em Psicologia junto à Universidade del Salvador (USAL), na Argentina.

Mônica destaca a relevância do trabalho para o cenário da segurança pública no país e no mundo. “O valor de uma teoria psicológica não se justifica apenas por seu poder explicativo, mas por seu poder prático de conduzir mudanças no funcionamento humano”, finaliza.

Texto e foto: Tatyane Santinoni.

Publicado por: Tatyane Oliveira Santinoni

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.