No mês de intensificação no combate ao câncer de mama, reeducandas têm programação especial em presídios

Categoria: Outubro Rosa | Publicado: terça-feira, outubro 30, 2018 as 06:54 | Voltar

Campo Grande (MS) – Outubro Rosa é o nome dado à campanha internacional para sensibilização da população sobre o problema do câncer de mama.  Como forma de inclusão das mulheres que estão em situação de prisão em Mato Grosso do Sul, unidades prisionais femininas gerenciadas pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio de parcerias, realizam uma série ações neste período, reforçando iniciativas preventivas desenvolvidas no cotidiano.

Em Três Lagoas, o Estabelecimento Penal Feminino recebeu uma programação repleta, que envolveu desde palestras, exames a aulas de zumba, como incentivo ao cuidado com a saúde.

Durante toda a última semana, foi realizado um mutirão para a coleta de exames preventivos. “A importância da prevenção ao câncer de mama e de colo do útero” foi tema de palestra ministrada clínica da mulher.

As internas também receberam orientações da Coordenação de DST/Aids do Município, envolvendo também demonstrações de como colocar o preservativo, além de apresentar estatística de contaminação pelo HIV em Três Lagoas

Em Ponta Porã, a unidade feminina também teve programação especial às reeducandas, com a realização de exames e decoração alusiva à campanha, com enfeites em tons de rosa.

Na Capital, no Estabelecimento Penal Feminino Irmã Irma Zorzi (EPFIIZ), foi ocorreu uma palestra da Rede Feminina de Combate ao Câncer, ministrada pelo médico Élcio Darlon Miranda. O evento contou com a presença da presidente Rede, Magda Bras Alves,  e da voluntária da instituição, Dirce Ramos.

O presídio é parceiro da Rede Feminina em diversas ações, entre elas na confecção de perucas para mulheres em tratamento contra o câncer.

Na unidade semiaberta de Campo Grande, as custodiadas receberam, no início do mês, exames preventivos do colo do útero e mamografia com a unidade móvel do Hospital do Câncer de Barretos. Os equipamentos utilizados são de última geração, inclusive a coleta do preventivo é feita com luz de LED, que detecta até o vírus HPV, o qual pode ocasionar câncer no colo do útero. Além disso, a carreta possui o mamógrafo avançado, que emite todos os resultados digitais.

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.