Um dos pilares da ressocialização, religião promove ambiente de fé em presídios do MS

Categoria: Assistência Religiosa | Publicado: quarta-feira, fevereiro 19, 2020 as 08:41 | Voltar

Campo Grande (MS) – Em Mato Grosso do Sul, 133 grupos religiosos, de diferentes denominações, atualmente prestam assistência voluntária à população carcerária. Além de estar prevista na Lei de Execução Penal (LEP), estudos apontam que a experiência religiosa nas prisões colabora para o reequilíbrio das personalidades desajustadas, auxiliando na recuperação de vícios e depressões. Esse tipo de assistência tem se consolidado como um dos principais pilares da ressocialização de pessoas em situação de cárcere no estado.

Para a chefe da Divisão de Promoção Social da Agepen, Marinês Savoia, as instituições religiosas são grandes parceiras do sistema carcerário do Estado. Além da pastoral, palestras e direção espiritual, elas promovem campanhas de agasalho e ajudam nos cursos  capacitação. “O preso não deixa de existir porque está privado de liberdade”, atesta. A religião, segundo ela, vem suprir a falta de uma estrutura familiar, já que a maioria dos internos vem de lares problemáticos e com marcada ausência de afeto e cuidados. “Nossa intenção é devolver o apenado à sociedade melhor do que ele entrou”, conclui Marinês.

Recentemente o Centro de Triagem “Anísio Lima”, na capital promoveu o “Dia do Louvor”, com orações, músicas e a participação de quatro instituições religiosas: Igreja Assembleia de Deus Missões, Assembleia de Deus MS, Igreja Trindade de Deus e Igreja Universal do Reino de Deus. A cerimônia foi realizada dentro do próprio pavilhão. Durante o evento, os internos expressaram a fé de maneira democrática e com respeito a todas as crenças, além de proporcionar um ambiente de paz e harmonia entre os internos.

 

A Banda Ressocializando, formada por internos da própria unidade penal, participou do Louvor com apresentações musicais

Tatyane Santinoni – Agência de Administração do Sistema Penitenciário de MS – Agepen

Fotos: Divulgação Agepen

Publicado por: Tatyane Oliveira Santinoni

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.