Direção da Agepen e da Escola Polo discutem avanços para a educação prisional no MS

Categoria: Geral | Publicado: segunda-feira, julho 13, 2015 as 18:26 | Voltar

Campo Grande (MS)- A ampliação dos índices escolares entre a população carcerária de Mato Grosso do Sul foi tema de encontro entre a direção da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e da Escola Estadual Polo “Regina Lúcia Anffe Nunes Betine”, responsável pelo ensino prisional no Mato Grosso do Sul.

O diretor-presidente da Agepen, Ailton Stropa Garcia, recebeu na tarde desta segunda-feira (13), em seu gabinete, a diretora da Escola Polo, Regina Lúcia Salles. Também participaram da reunião o diretor de Assistência Penitenciária da Agepen, Gilson Martins, e a diretora-adjunta da escola, Ana Lúcia Fontoura.

Atualmente, existem extensões escolares em 27 presídios nos 18 municípios onde a Agepen possui unidade prisional, com cerca de 13% dos reeducandos estudando no ensino regular, que compreende ao fundamental e ao médio. São 112 professores, além dos coordenadores e demais profissionais envolvidos com a educação prisional. A Escola Estadual Polo também é responsável pelo ensino oferecido no Presídio Federal de Campo Grande.

Para o diretor-presidente da Agepen, o percentual atual de detentos estudando ainda está longe do ideal, sendo necessário buscar mecanismos para a ampliação desses índices, tendo em vista que a educação é um dos principais meios de ressocialização. O dirigente solicitou à escola um panorama geral de como está o funcionamento da educação oferecida em cada estabelecimento prisional do Estado, para que se possa traçar estratégias direcionadas.

Entre os desafios, conforme a diretora Regina, está coibir as desistências entre os internos. Com isso, profissionais da Agepen e da Escola Polo irão fazer um trabalho específico para identificar quais as causas das evasões escolares entre os detentos e detentas.

Outro assunto debatido foi a segurança dos professores que atuam nos presídios. Segundo Stropa, a Agepen irá fazer uma análise para detectar quais são as reais necessidades nesse sentido para que novas providências sejam tomadas.

Com 16 anos de experiência na educação prisional, Regina destacou à direção da Agepen que muitos avanços já foram conquistados na área, graças também ao apoio os diretores de presídios e equipes de servidores.

Publicado por: imprensaagepen

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.