Grupo do Narcóticos Anônimos comemora um ano de ações no Instituto Penal de Campo Grande

Categoria: Tratamento Penal | Publicado: terça-feira, outubro 29, 2019 as 14:17 | Voltar

Campo Grande (MS) – O Grupo Redenção, desenvolvido pelo Narcóticos Anônimos (N.A.) no Instituto Penal de Campo Grande (IPCG) completou um ano de existência na última sexta-feira (25.10), com celebração pelo trabalho de enfrentamento à drogadição entre os custodiados.

A ação é possibilitada pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio da Diretoria de Assistência Penitenciária e sua Divisão de Promoção Social. No presídio, a iniciativa tem o apoio das psicólogas Fernanda de Melo R. Campidelli e Viviana Cristina P. Rezende.

O Narcóticos Anônimos utiliza o programa conhecido por Doze Passos, que busca auxiliar os privados de liberdade, usuários de substâncias psicoativas, no enfrentamento à dependência química e no processo de recuperação. As reuniões são semanais, realizadas na sala multiuso da unidade, e a participação é voluntária.

Durante os encontros, os integrantes do N.A. e convidados também partilham suas próprias experiências com o uso das diversas drogas e como suas vidas mudaram a partir do momento em que passaram a encarar a adicção como doença. A principal meta é superar o hoje, um dia de cada vez.

"Qualquer adicto pode parar de usar drogas, perder o desejo de usar drogas e encontrar uma nova maneira de viver”, destaca um voluntário do Narcóticos Anônimos, que atua no grupo Redenção, sem revelar o seu nome, já que uma das diretrizes do trabalho é o sigilo.

O voluntário explica que, apesar de ser voluntária, a atuação exige muita dedicação, estudo e responsabilidade por parte da equipe que presta assistência neste programa de recuperação. “Buscamos dar de graça o que recebemos de graça”, complementa, lembrando que todos são pessoas que também enfrentaram problemas com as drogas", comenta.

Segundo ele, todo o esforço é compensado a cada história de superação que presencia. “Não temos a pretensão de resolver todo o problema, mas cada um que a gente ajuda nesta transformação já é uma grande vitória”, afirma.

Além do Redenção, o Instituto Penal de Campo Grande conta, ainda, com ações do Grupo Recomeçar, conduzido pela própria Agepen, que também atua no enfrentamento à dependência química. Juntos, os dois grupos garantem atenção direta a 80 reeducandos.

A celebração de um ano do trabalho contou com a presença da chefe da Divisão de Promoção Social Marinês Savoia. Segundo ela, o trabalho sistematizado de enfrentamento à drogadição já é realidade em 22 unidades prisionais do estado, sendo executados por psicólogos e assistentes sociais, e contam com apoio de instituições voltadas ao tema, como o N.A.

Serviço

O Narcóticos Anônimos é uma irmandade mundial ativa em mais de 140 países e com mais de 70 mil reuniões semanais pelo mundo. Qualquer um, independente de raça, crença, opção sexual, idade ou situação financeira pode participar das reuniões do grupo, que são totalmente gratuitas.

Assim como o trabalho voluntário nos presídios, o NA busca atingir todos os segmentos da sociedade em busca da superação da dependência química. “Buscamos oportunidades de apresentar o programa em órgãos voltados às áreas de educação, saúde, entre outros, para ampliarmos esta rede de enfrentamento”, destaca o voluntário.

Mais informações sobre o trabalho do Narcóticos Anônimos podem ser obtidas em sua página oficial no Brasil: http://www.na.org.br/, ou pelo telefone 0800 888 6262.

Publicado por: Keila Terezinha Rodrigues Oliveira

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.