Internas gestantes recebem acolhimento e informação em parceria entre Agepen e doulas do Papo de Gaia

Categoria: Tratamento Penal | Publicado: segunda-feira, outubro 31, 2022 as 12:59 | Voltar

Reeducandas em cumprimento de pena nos regimes semiaberto e aberto na capital de Mato Grosso do Sul encontraram conforto e suporte emocional, além de muita informação e cuidado, em uma ação desenvolvida em conjunto entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e o projeto Papo de Gaia, que atua na formação de doulas, profissionais especializadas na área de gestação, parto, pós-parto e amamentação, com foco na humanização da saúde da mulher como um todo.

A iniciativa partiu da equipe do Estabelecimento Penal de Regimes Semiaberto, Aberto e de Assistência às Albergadas (EPFRSAAA-CG), que convidou o projeto para atuar juntos às reeducandas.

Uma das idealizadoras da ação no presídio, a policial penal Phâmella Rita explica que o objetivo é que a promoção auxilie na autonomia e protagonismo das mulheres, através da difusão da informação de qualidade sobre gestação, parto e puerpério, amamentação, bem como a discussão de direitos e prevenção à violência obstétrica, construção de planos individuais de parto que determinem suas escolhas e desejos na atenção no SUS.

Para Phâmella, a expansão deste modelo de roda e educação perinatal junto ao atendimento durante o parto de mulheres em situação de prisional, oferecerá suporte físico-emocional, promovendo aproximação da mãe com o bebê e de melhores experiências de parto.

Este mês, através da parceria, as reeducandas gestantes receberam orientações quanto ao parto e amamentação, além de cuidados com o bebê que está chegando.

Com foco na humanização e ternura, as detentas grávidas receberam pintura na barriga, mostrando a real posição do bebê, para a mãe não tenha a percepção que o processo de gerar está chegando ao fim e que em breve a criança, que hoje está em seu ventre, estará em seus braços.

“Descobri que estava grávida quando fui presa, foi bem difícil, com a pintura na minha barriga senti uma ligação com meu filho, aprendi a conversar com ele e cuidar mais de mim por ele", revela a interna Gabriela Amorim.

De acordo com a diretora da unidade penal, Cleide Santos do Nascimento Freitas, as mulheres privadas de liberdade que estão gestantes recebem atendimento médico e da enfermagem, fazem pré-natal e todos os exames necessários para o bom andamento da gravidez. A direção busca o melhor acompanhamento para as gestantes, possibilitadas também por meio de parcerias. “A maior parte dos ultrassons é feita na Clínica Cipria, através da Sogomat, que realiza o exame de forma gratuita, ou seja, são diferentes pessoas e instituições empenhadas em ajudar neste momento”, agradece.

Papo de Gaia

“Papo de Gaia é a Mãe, Mulher, Anciã. Que vive dentro de cada uma de nós”. A explicação é da fundadora do projeto, Mariksa Ungerer, que iniciou com este trabalho em 2014, após um sonho com a figura da deusa da mitologia grega, no qual trazia o resgate do empoderamento feminino, o desejo de retomar os partos respeitosos e a necessidade de aumentar cada vez mais a capacidade de amar uns aos outros, iniciando com o simples ato de amor que é parir.

“Essa mãe Gaia é tão acolhedora que trouxe para dentro de sua casa, mulheres profissionais capacitadas, responsáveis, dedicadas e obedientes a auxiliar na construção desse novo jeito de nascer”, explica a fundadora.

Segundo ela, o objetivo é preparar e apoiar na formação de profissionais que atuam nessa área de gestação, parto, pós-parto e amamentação. “Pois, dessa forma, temos a certeza que poderemos proporcionar melhorias na assistência da saúde da mulher; através de nossa equipe multidisciplinar em prol da humanização da saúde como um todo”, destaca.

Sobre a ação no presidio semiaberto, Mariksa comenta que ficou bastante sensibilizada e iniciou também uma campanha nas redes sociais do projeto para arrecadar enxoval para os bebês. “Aqui no Papo de Gaia promovemos várias ações para ajudar mamães carentes e tive esse contato agora com as mulheres em situação de prisão, mulheres que estão em seu ventre com uma alma intocada, e percebi como é importante para auxilio no vínculo com o bebê ter alguns mimos, além dos bebês precisarem deste enxoval, então nosso objetivo é arrecadar para doação”, comenta.

Serviço

O “Papo de Gaia”, além da formação de doulas, atua medicina da placenta, psicologia perinatal, aulas de pilates, além de massagens de relaxamento especial pré-concepção (com foco em ajudar no processo para engravidar) e na gestação (para melhorar a qualidade de vida da mulher nesta fase de tantas alterações físicas e emocionais).

A Sede do Projeto Papo de Gaia está localizada na Rua13 de junho,1417. Centro de Campo Grande, com atendimentos de segunda a sexta-feira das 14 às 18 horas.

Publicado por: Keila Terezinha Rodrigues Oliveira

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.