Premiação de projeto que promoveu leitura cristã renovou força e esperança de reeducandas da capital

Categoria: Assistência Religiosa | Publicado: terça-feira, dezembro 19, 2017 as 07:20 | Voltar

Campo Grande (MS) – Marcada com muita emoção, reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi” (EPFIIZ), da capital, recebem premiação no projeto cultural “Crescer + Ler”. As três primeiras colocadas ganharam bíblia, livros cristãos e de autoajuda.

Realizado por meio de parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e a Igreja Verbo da Vida, o projeto teve início em setembro com a doação de 104 livros pela instituição religiosa. No total, 30 reeducandas participaram da iniciativa que consistia na realização de resenhas dos livros escolhidos. O evento aconteceu na última quinta-feira (14.12).

Todas as resenhas foram avaliadas e classificadas por profissionais capacitados da Igreja Verbo da Vida. Durante a premiação, foram lidas as três primeiras resenhas classificadas e os componentes da mesa escolheram o primeiro, segundo e terceiro lugar.

Segundo a idealizadora do projeto, Ráfylla Martins, o objetivo foi proporcionar crescimento pessoal e espiritual às internas por meio da leitura. Além disso, possibilitou o combate a ociosidade e ampliou o pensamento crítico.

Vencedora do concurso, a interna Miriam Gomes Aguiar, 36 anos (foto principal), retratou o livro “Deus Pode” do pastor Silas Malafaia. “Depois de cinco afastada dos caminhos do Senhor, decidi sair do crime e me reconciliar com Deus por meio desse projeto. Então me sinto muito abençoada com essa premiação, creio que foi um presente maravilhoso de Deus, estou muito feliz”, declarou.

Ainda, segundo  Miriam, que está presa há sete meses, o livro conta toda a trajetória do Apóstolo Paulo, que também passou por muitas prisões e representa um exemplo de vida cristã que deve ser seguido. “Me vi em muitas situações nesse livro, com ele pude renovar as minhas forças e fortalecer a minha fé”, desabafou. Ela recebeu como premiação cinco livros e uma bíblia no valor de R$ 250,00.

A segunda colocação ficou com a detenta Juliana Jaskulski, que fez resenha sobre a obra "Por seus frutos os conhecereis, e foi premiada com três livros e uma bíblia no valor de R$ 150,00. Já a reeducanda Fabiana Epifânio Avero, recebeu um livro e uma bíblia e R$ 90,00, após conquistar o terceiro lugar com um texto sobre o livro "Ganhando Almas".

A diretora da unidade penal, Mari Jane Boleti Carrilho, agradeceu a iniciativa e destacou a importância de projetos que retratam a força da fé e da espiritualidade. “Gosto sempre de dizer que fazemos as refeições para alimentar nosso corpo, estudamos para desenvolver nossa mente e através da palavra de Deus alimentamos a nossa alma e quando tudo isso se junta traz um equilíbrio, forma-se uma aliança que é a promessa de Deus em nossa vida, de esperança e de fé que quero que todas tenham, a promessa de que terão algo de muito melhor pela frente”, destacou a diretora.

Em discurso, o pastor da Igreja Verbo da Vida, Agnaldo Andrade Lima, reforçou que a ideia foi levar transformação de vida e de caráter às internas. “Para isso, nada melhor que unir leitura com espiritualidade, a intenção não é erguer placa de igreja e sim mostrar que existe um caminho diferente, uma nova esperança”, afirmou.

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, esse projeto representa uma oportunidade de mudança de valores, de novos caminhos e de visão de futuro. “A religião tem a função de resgatar os caminhos corretos que devemos prosseguir, tenho certeza de que saíram melhores e com força para agarrar as oportunidade lá fora, valorizar os bons momentos e a função da Agepen é justamente essa, proporcionar uma nova chance longe da criminalidade por meio das assistências que são oferecidas”, destacou o dirigente.

Também participaram da premiação o chefe de Gabinete da Agepen, Pedro Carrilho de Arantes; a diretora de Assistência Penitenciária, Elaine Arima Xavier Castro; além de membros da Igreja Verbo da Vida e agentes penitenciários.

Texto: Tatyane Santinoni.

Publicado por: imprensaagepen

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.