Separada do filho na prisão, detenta da Capital recebe mensagem de conforto do Papa Francisco

Categoria: Geral | Publicado: sexta-feira, julho 15, 2016 as 09:56 | Voltar

Campo Grande (MS) – Lara Bruna Aparecida Beraldo, 29 anos, é interna do Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi”, e está presa por tráfico de entorpecentes desde maio do ano passado. Ela teve um filho quando já estava na prisão e, encerrando o período em que é autorizada a permanência do bebê na unidade prisional, ele foi entregue à avó. Mas, a história que faz parte da rotina de dor da prisão ganhou um capítulo diferente esta semana: Lara recebeu uma mensagem especial do Papa Francisco, levando palavras de conforto sobre a sua vida e quanto ao sofrimento de ter que ficar longe do seu filho.

Tudo começou quando o padre Hernani Pereira, pároco da Igreja Santo Afonso, fez uma visita alusiva à celebração de Corpus Christi no presídio feminino de Campo Grande e conversou com a interna, que lhe entregou um bilhete, narrando a sua história e a tristeza que tinha pela situação vivenciada. Molhada de lágrimas, a carta da reeducanda foi entregue em mãos pelo pároco ao pontífice da Igreja Católica, no Vaticano.

A mensagem do Santo Padre foi entregue à Lara na frente de outras reeducandas, de servidores do presídio e da direção da Agência Estadual de Administração Penitenciária (Agepen), durante uma solenidade de certificação das custodiadas que realizaram cursos profissionalizantes em parceria com a Pastoral Carcerária. O fato inusitado surpreendeu e emocionou a todos os presentes.

IMG_4947“O papa pediu para dizer a você que não tenha medo, que seu filho será bem cuidado, que sua história está no coração dele, que, com certeza, a sua história chegará ao coração de Jesus. Para você olhar para a sua vida com esperança, olhar para a sua vida com fé; que o senhor não se lembrava mais do que aconteceu com você”, disse o padre Hernani, abraçando a detenta entre lágrimas dela e de toda a plateia que ouviu a mensagem.

“Me pegou de surpresa, fiquei muito emocionada, eu me lembrei do meu neném também, pois ainda sinto muito a falta dele, mas a palavra do Papa me trouxe um conforto, pois preciso muito de um conforto, de um amor e de um carinho”, declarou a reeducanda.

Para o diretor-presidente da Agepen, Ailton Stropa Garcia, momentos como esse são sublimes e emocionantes e mostram o quanto o envolvimento de religiosos pode significar para a massa carcerária. "A ponto de fazer chegar, até o Papa Francisco, uma situação ocorrida em uma de nossas unidades, sensibilizando o Santo Padre e trazendo dele palavras de carinho, fé e esperança para todo um grupo de internas", finalizou.

Confira reportagem sobre o assunto divulgada pela TV Imaculada:

 

Publicado por: Keila Terezinha Rodrigues Oliveira

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.