Servidores da Penitenciária de Dourados recebem orientação sobre prevenção e tratamento do câncer de próstata

Categoria: Novembro Azul | Publicado: segunda-feira, novembro 28, 2016 as 16:09 | Voltar

Dourados (MS) – Agentes penitenciários que atuam na Penitenciária Estadual de Dourados (PED) participaram, na manhã desta segunda-feira (28), de uma palestra sobre o câncer de próstata, oferecida pela Secretaria de Estado de Saúde (SAS), em parceria com a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), como parte da Campanha Novembro Azul, com ações voltadas à saúde do homem.

A palestra foi ministrada pelo médico urologista Nelson Trad Filho e contou com a participação do diretor-presidente da Agepen, Ailton Stropa Garcia, do diretor de Operações, Reginaldo Francisco Régis, e do chefe de Gabinete, Dumas Torraca, que aproveitaram a visita ao presídio para prestigiarem a apresentação voltada aos servidores.

“Existe uma grande preocupação com a saúde de nossos agentes, por isso buscamos junto à Secretaria de Saúde ações voltadas a eles dentro desta campanha Novembro Azul, pois grande parte de nossos servidores é do sexo masculino”, destacou o diretor-presidente da agência penitenciária. Segundo Stropa, a palestra está sendo oferecida em presídios de Ponta Porã, Rio Brilhante e no Instituto Penal de Campo Grande, sob a coordenação do Núcleo de Apoio Psicossocial ao Servidor da Agepen.

Durante a apresentação, o especialista explanou sobre o que é a glândula masculina chamada próstata, como ela funciona e a quais problemas está sujeita, como a prostatite – uma inflamação causada devido à infecção por germes – chamada de, e o temido câncer.   O urologista abordou quais exames necessários para detecção e a importância do diagnóstico precoce. “Pode acontecer em qualquer idade, mas, se o homem tem mais de 40 anos, mesmo que não sinta nada, deve procurar um médico para fazer a prevenção”, ressaltou.

De acordo com Trad, a realização de exames, com regularidade anual, está relacionada à diminuição de 21% na mortalidade pela doença. “Quanto antes tratar, mais sucesso na cura”, disse aos servidores, que ouviram atentos às explanações.

O urologista falou, ainda, sobre as formas de tratamento e explicou que, conforme as características do paciente, o médico poderá definir quais as melhores formas de tratamento. “Nos estágios iniciais da doença, tumores localizados e localmente avançados, a cirurgia de retirada da próstata é o tratamento padrão, apresentando altos índices de cura”, informou.

Publicado por: Keila Terezinha Rodrigues Oliveira

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.