Valorização da vida é destaque em ações integradas realizadas em unidades penais de MS

Categoria: Setembro Amarelo | Publicado: sexta-feira, outubro 1, 2021 as 14:11 | Voltar

O ambiente carcerário de Mato Grosso do Sul foi palco de ações de saúde e de promoção social desenvolvidas em prol da conscientização e prevenção ao suicídio. Com a união de esforços, homens e mulheres em cumprimento de pena, foram orientados por meio de palestras, panfletos, dinâmicas, depoimentos e rodas de conversa.

As ações fazem alusão à campanha nacional do Setembro Amarelo e foram desenvolvidas pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio da Diretoria de Assistência Penitenciária, através de suas Divisões de Assistência à Saúde Prisional e de Promoção Social.

Panfleto entregue em São Gabriel do Oeste.

Com mais de 20,8 mil privados de liberdade, mensagens positivas de encorajamento e acolhimento foram desenvolvidas em diversas unidades penais do estado. As ações são voltadas à prevenção e combate ao suicídio, bem como, identificação de fatores de risco e protetores, que busquem a redução dos pensamentos autodestrutivos e suicidas.

Organizadas pela direção das unidades penais e setores de saúde e psicossociais, as atividades contaram ainda, com apoio de diversos profissionais da área que, voluntariamente, levaram informações e dados importantes aos reeducandos, no intuito de quebrar o tabu e levar à reflexão sobre o momento de buscar ajuda.

De acordo com o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, estender aos privados de liberdade todas as campanhas sociais desenvolvidas para a população proporciona maior reinserção dessas pessoas, garantindo o acesso à informação e direitos previstos na legislação.

Exemplos

Ação de Saúde em Corumbá.

Em Corumbá, os setores psicossociais dos presídios masculino e feminino promoveram uma ação em parceria com a psicóloga da Santa Casa e atuante no programa de prevenção ao suicídio, Evanilza Mateus de Oliveira, envolvendo os representantes dos solários para uma roda de conversa sobre o tema e repasse de folhetos elucidativos.

Além disso, uma roda de conversa e panfletagem foi realizada junto às custodiadas do município, em parceria com a coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres, Wânia Alecrim de Lima.

E no Patronato Penitenciário de Corumbá, foram entregues informativos sobre prevenção ao suicídio para sentenciados que cumprem livramento condicional, penas restritivas de direito e monitorados por tornozeleira eletrônica.

Na capital, o tema “Propósito de vida e prevenção ao suicídio” foi abordado no Instituto Penal de Campo Grande (IPCG), em parceria com a Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul, através do assessor Fernando Murilo Vital Barreiro da Silva. Folders de conscientização e informação sobre o tema Suicídio e Saúde Mental também foi distribuído na unidade penal.

A oferta de atendimento psicológico prioritário aos internos que manifestaram interesse ou cuja demanda foi identificada também é realidade no IPCG.

No Presídio de Trânsito de Campo Grande, foram ministradas palestras com grupos pequenos e nos pavilhões, além de acompanhamento psiquiátrico em casos pontuais, apresentação de vídeos e distribuição de folders e cartões didáticos motivacionais, com apoio do Módulo de Saúde do Complexo Penitenciário.

Palestras também foram ministradas aos reeducandos do Presídio de Trânsito de Campo Grande.

Com decoração alusiva à campanha e cartazes informativos, o Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi”, na capital, promoveu um culto com apoio da Igreja Assembleia de Deus e ministrado pela pastora Dayane Souza, que fez uma reflexão relevante sobre a valorização da vida.

Mulheres em regime semiaberto e aberto da capital.

Além disso, as reeducandas participaram de uma roda de conversa conduzida pelo psiquiatra Flávio Freitas Barbosa e de uma palestra com o tema “Você não está Sozinha”, ministrada pela servidora da Agepen, psicóloga Lileia Souza Leite.

As mulheres que cumprem pena nos regimes semiaberto e aberto da capital participaram de uma palestra especial com o médico psiquiatra, José Augusto Neto, que atua no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), a convite da médica que atua na unidade penal feminina, Dra. Letícia Brandão.

Escritório Social também realizou ações do Setembro Amarelo.

“Estamos com você!”, foi o tema da campanha alusiva ao Setembro Amarelo, promovida pelo Escritório Social de Campo Grande em parceria com o Patronato Penitenciário. A equipe de servidores se mobilizou para divulgar a ação e levar uma mensagem de apoio aos profissionais que ali atuam, bem como, egressos e familiares atendidos no local. A iniciativa foi coordenada pela chefe em substituição do equipamento, Erika Salomão, e contou com apoio da psicóloga Sofia Rodrigues da Silva.

Já os reeducandos em regime fechado da Gameleira e de Naviraí assistiram ao filme “O Vendedor de Sonhos”, do autor Augusto Cury, e em seguida, participaram de uma dinâmica sobre o longa-metragem e uma roda de conversa sobre Suicídio.

O filme conta com diversas lições e mensagens sobre o psicológico humano. Dentre os pontos abordados na obra estão sobre relações humanas, conflitos, risos, perdão, família, ajuda ao próximo, pessoas em situação de rua e transformação de vida.

Internos de Naviraí assistiram ao filme "O Vendedor de Sonhos".

No presídio feminino de Rio Brilhante, o polo da Escola Estadual Etalívio ministrou as palestras às mulheres em situação de prisão. Já em São Gabriel do Oeste, a Secretaria Municipal de Saúde cedeu a psiquiatra, Kalynka Silvia Higinom para abordar sobre o tema às apenadas.

Em Dourados, os custodiados em regime semiaberto também participaram da campanha, através da palestra ministrada pela servidora da Agepen, psicóloga Joslaine dos Santos Nunes.

Também foram realizadas ações em Caarapó, Paranaíba e Três Lagoas. Tudo preparado para valorizar essa importante temática de saúde pública e demonstrar a rede de apoio social que há em torno desta questão.

No Brasil, são registrados mais de 13 mil suicídios todos os anos e mais de um milhão no mundo. Trata-se de uma triste realidade, que registra cada vez mais casos, principalmente entre os jovens. Cerca de 96,8% dos casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias.

Publicado por: Tatyane Oliveira Santinoni

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.